Okido Yoga Cidade Baixa Porto Alegre fone 51 3227 1640
HOME
OKI DO YOGA MEDITAÇÃO SHIATSU CHI KUNG TAI CHI EMF
 
Artigo publicado no Jornal Bem Estar nº58 junho/08 - Porto Alegre
 
COMPETIR - uma necessidade relacionada a má
RESPIRAÇÃO

Ao praticar Yoga você pode sentir que há outras possibilidades mais humanas.

ODILA ZANELLA

Respirar é a primeira habilidade exercida ao nascer; é um gesto instintivo para sobreviver como ser único. As pessoas, de modo geral, continuam respirando apenas para sobreviver - respiração animal - e isso significa permanecer ignorando os demais níveis, que são próprios dos seres humanos.
A natureza animal é mais agressiva e competitiva e o faz para sobreviver e reproduzir. Muitas pessoas têm esse comportamento no meio social como uma habilidade para obter os melhores negócios para si. Essa impulsão para competir é, na maioria das vezes, uma necessidade subjetiva - a de inspirar mais.

Figueira São Loureço do Sul RSA pessoa que respira mal, às vezes, não sabe. E além disso, não percebe que é levada, mais facilmente, a sintonizar-se com o sufocamento coletivo e, instintivamente, agita sua respiração para corresponder - ser aceita. Sente falta de ar, mesmo com o torax pleno e com toda a abundância oferecida pela Natureza. Essa desarmonia é facilmente percebida, como exemplo, nas práticas do yoga em que os movimentos buscam conexão.
O ser humano, diferente de outros animais, tende a alterar sua respiração. Seus hábitos civilizatórios o desviam de uma respiração natural - no baixo abdomem, gerando, assim, uma perda de estabilidade e de centralidade. A falta desta naturalidade resulta em agitação, ansiedade, tensão e agressividade ou estresse. Assim, a relação do homem com o meio que o cerca é da mesma forma que ele respira: necessidade de mais ar e ser mais competitivo.
O respirar envolve troca, tão bem exercida pelos pulmões; no competir está apenas o inspirar, o ganhar para sobreviver! A palavra competitividade, tão usada nos eventos de negócios, soa agressividade.

A pessoa que respira com qualidade e com consciência vivencia abundância e gratidão

Apenas o ser humano pode fazer uma respiração consciente que unifica sua vitalidade com a essência do universo. Perder esse elo enfraquece as habilidades humanas. O Yoga milenar tem mantido este elo ao destacar a importância dos pranayamas como disciplina prática. A pessoa que respira com qualidade e com consciência vivencia abundância e gratidão. Sente que há espaço ao seu lado para o outro. Prefere andar junto - busca a troca. Escolhe a solidariedade como caminho humano.

Esta escolha decorre de uma prática que envolve princípios humanisticos tão bem interpretados, por exemplo, nos estudos Oki do yoga. Os pranayamas – um dos estágios do yoga tradicional – busca sensibilizar o praticante para a dimensão do ‘prana’ ou ‘Ki’, ’Chi’, ‘energia’, como costumamos expressar; o treinamento leva a pessoa a perceber as sutilezas do processo respiratório e incorporar Essência Vital. Nessa condição, o humano experimenta o fluir da ‘energia’ em seu corpo – um prazer que o acúmulo não dá. Sente-se mais criativo, produtivo, calmo, centrado e disponivel para servir.

Portanto, ser competitivo é uma limitação e ser solidário é uma decisão que começa com a respiração natural e humana. Envolve oferecer os próprios talentos para o benefício de todos.

Para aqueles que desejam realizar bons "negócios" é bom mentalizar:

Respirar é um grande “negócio”, pois nos faz perceber que há oportunidades para todos.

São inúmeras as relações que podemos estabelecer com a respiração e ao estudá-las, como vimos nos exemplos acima, nos permite desvelar o potencial humano e sentir-se um ser que respira livre e sem amarras.

Há algo importante, ainda, a ser lembrado: O Yoga é uma presença milenar para nos manter despertos da Unidade que somos. Somos facetas da mesma Realidade. Portanto, não é natural achar que podemos ser o melhor, mas sim diferente. E, para isso, nossos talentos devem ser expressos para realizar, ao menos, a condição humana, a do coração – um pequeno passo para sentir e realizar Buddhi.

Muito obrigada!
Odila Zanella é professora de Oki do yoga em Porto Alegre RS
VOLTAR PARA ARTIGOS   CONTATO